Tlundu

O Carnaval tradicional dos ilhéus, chamado tlundu, sempre teve bastante expressividade em São Tomé e Príncipe. Os grupos eram compostos somente por elementos do sexo masculino, que vestiam roupas bizarras, tanto de homem, como de mulher. Os grupos andavam de quintal a quintal, apresentando a sua peça – diferente cada ano –, composta por partes cantadas e faladas. O canto era acompanhado pelos instrumentos de percussão (ferrinho, chocalho) e, em alguns casos, também pelas violas. Os grupos de tulndu existiam por todo o arquipélago, o que confirma o número de registos dos anos 1970-1980, que se encontram no arquivo da RNSTP.

Entrevistas
Entrevista 101.2021, Santa Marta do Pinhal, 06.06.2021
Entrevista 104.2021, Folha Fede, 10.06.2021

Fontes
Arquivo Musical da RNSTP

Bibliografia
Bialoborska, Magdalena (2020a), “Dêxa puíta sócó(m)pé. Música em São Tomé e Príncipe do colonialismo para independência”, tese de doutoramento, Lisboa, Iscte – Instituto Universitário de Lisboa.

Santo, Carlos Espírito (1998), A Coroa do Mar, Lisboa, Caminho.

Texto: Magdalena Bialoborska